Autor: Leandro Henrique

Blog

Bom marinheiro se faz nas tempestades

Meus irmãos, considerem motivo de grande alegria o fato de passarem por diversas provações,
pois vocês sabem que a prova da sua fé produz perseverança.E a perseverança deve ter ação completa, a fim de que vocês sejam maduros e íntegros, sem lhes faltar coisa alguma.”
Tiago 1:2-4

A carta de Tiago foi escrita para todas as igrejas espalhadas na época. Devido a perseguição, os judeus, seguidores de Jesus, foram obrigados a irem para outras cidades e países para que pudessem proclamar as boas novas. Afim de orientar esses judeus, Tiago escreve essa carta e de inicio fala para que se alegrem com essas perseguições. Mas por que e como se alegrar em situações de grande provação?

Lembro-me de quando meu pai tirou as rodinhas da minha bicicleta. Foram vários tombos até que eu conseguisse, enfim, me equilibrar e sair pedalando por aí. Essa prova e a minha perseverança foram essenciais para que eu aprendesse a andar sem o apoio das rodinhas. Com o tempo, aprendi até mesmo a andar sem as mãos no guidão rsrsrs. O que Deus fez com esses judeus e faz conosco é exatamente isso. Deus tira as nossas rodinhas e nos faz passar por essas provações para nos fortalecer e amadurecermos. Mas para isso é preciso nos tirar da zona de conforto. Esses judeus estavam confortáveis em Jerusalém e foi preciso uma perseguição para que o propósito de Deus em espalhar o evangelho pelo mundo se concretizasse. Mesmo com essas provações, eles continuaram a seguir o plano. E foi exatamente essa perseverança que possibilitou o crescimento e amadurecimento. Tiago os ajudou a enxergarem isso.

A palavra de Deus nos diz em João 16:33: ” Tenho-vos dito isto, para que em mim tenhais paz; no mundo tereis aflições, mas tende bom ânimo, eu venci o mundo.” Essa certeza de que Jesus está conosco e de que essas provações são para o nosso amadurecimento, nos ajuda a mantermos firmes no propósito de Deus nas nossas vidas.

Fiquem com a paz de Cristo!

Leandro Henrique

 

Blog

Corra na direção certa

 

Vocês não sabem que dentre todos os que correm no estádio, apenas um ganha o prêmio? Corram de tal modo que alcancem o prêmio.
Todos os que competem nos jogos se submetem a um treinamento rigoroso, para obter uma coroa que logo perece; mas nós o fazemos para ganhar uma coroa que dura para sempre.
Sendo assim, não corro como quem corre sem alvo, e não luto como quem esmurra o ar.
Mas esmurro o meu corpo e faço dele meu escravo, para que, depois de ter pregado aos outros, eu mesmo não venha a ser reprovado.
1 Coríntios 9:24-27

Lembro-me da minha adolescência quando jogava em um time de futebol aqui da minha cidade. Na vontade de querer ajudar a equipe eu pegava a bola, abaixava a cabeça e saia correndo feito doido em direção ao gol. Nem preciso dizer que essa jogada não dava certo e ainda me rendia várias broncas do treinador. Não acharia ofensivo se alguém falasse: Esse menino não treina?
Você já parou pra pensar que muitas vezes fazemos isso na nossa vida espiritual? Oramos muito por algo e na hora de agir fazemos de forma precipitada e logo vem em nossa mente o quanto oramos e jejuamos por aquele momento. Por que estamos indo bem no treino e mal no jogo? Estamos orando certo e agindo errado ou orando errado e agindo mais errado ainda?
Apesar de não parecer, eu treinava forte todos os dias mas falhava ao colocar em prática. O modo que eu jogava não fazia o time alcançar o prêmio desejado. Você já parou pra pensar se realmente esta correndo rumo ao alvo que é Cristo ou se está correndo atrás do vento?
Lembre-se que o Espírito Santo é o nosso treinador e ele está do lado do campo te orientando e te posicionando no lugar correto, mas se você não ouvir suas instruções e não confiar que ele sabe exatamente o que você deve fazer, acabará se perdendo.
Portanto, não seja um atleta que não sabe onde está e onde quer chegar. Que você seja um atleta de ponta e corra para ao alvo que é Jesus Cristo. Seu prêmio será uma coroa que vai durar para sempre.

Fiquem na paz de Cristo!

 

Leandro Henrique

Blog

Marche!

 

“Então disse o Senhor a Moisés: Por que clamas a mim? Dize aos filhos de Israel que marchem.” Êxodo 14:15

Sabemos que nossa vida é cheia de altos e baixos e o próprio Jesus nos alertou sobre isso (João 16:33). Quando os problemas aparecem, é comum olharmos para o céu e perguntar a Deus: e agora?

Na passagem citada, o povo hebreu havia escapado das mãos de Faraó quando o mesmo mudou de ideia e começou a persegui-los. No meio da fuga se depararam com o Mar Vermelho a sua frente e restou-lhes apenas clamarem a Deus por um milagre. Mas Deus os surpreendeu dizendo que não era para orarem e sim para marcharem. Mas como assim? Não devemos orar quando estamos com problemas e dificuldades? Sei que parece contraditório mas Deus quis mostrar ao povo que Ele já havia estabelecido a liberdade e a nova terra que havia prometido, sendo assim, nada iria impedir isso. Existem pequenos obstáculos que irão aparecer em nossas vidas e não podemos parar achando que tudo está perdido. Saiba que Deus tem tudo sob controle, apenas tenha fé e confie. Se existe um Mar Vermelho em sua frente ele vai se abrir ou você ira andar sobre ele.

O que tem impedido você de marchar? Marche!

Fique na paz de Cristo!

Leandro Henrique

Blog

O caminho da maturidade

 

 

“E ele designou alguns para apóstolos, outros para profetas, outros para evangelistas, e outros para pastores e mestres, com o fim de preparar os santos para a obra do ministério, para que o corpo de Cristo seja edificado, até que todos alcancemos a unidade da fé e do conhecimento do Filho de Deus, e cheguemos à maturidade, atingindo a medida da plenitude de Cristo.
O propósito é que não sejamos mais como crianças, levados de um lado para outro pelas ondas, nem jogados para cá e para lá por todo vento de doutrina e pela astúcia e esperteza de homens que induzem ao erro.
Antes, seguindo a verdade em amor, cresçamos em tudo naquele que é a cabeça, Cristo.”
Efésios 4:11-15

Nossa vida é feita de fases e para cada uma delas nos comportamos do jeito apropriado para a idade. Primeiro somos crianças onde somos totalmente dependentes de nosso pais (comer, nos vestir, tomar banho), passando para a adolescência que é uma fase de descobertas, indo para a fase adulta onde nos consolidamos e nos estabelecemos na vida profissional e financeira e finalmente a velhice onde compartilhamos toda nossa sabedoria que adquirimos com o tempo. Isso é o normal pois é o ciclo da vida. São fases normais do ciclo da vida na qual não temos opção de escolher ficar ou não.
Nossa vida espiritual funciona da mesma maneira que o ciclo da nossa vida. Nascemos de novo e somos como crianças aprendendo a engatinhar na fé. Logo após vem a adolescência onde fazemos descobertas do evangelho. Na fase adulta já conseguimos caminhar sozinhos e temos uma estabilidade emocional e espiritual. Já na velhice” temos tamanho conhecimento e intimidade com Cristo que ajudamos outras pessoas com nossas experiencias espirituais. Mas o que isso tem a ver com o que Paulo disse aos Efésios?
Infelizmente é muito comum ver cristãos estagnados na caminhada com Cristo. Vejo muitas pessoas com 10, 15 e até 20 anos de igreja mas que ainda agem como crianças na fé. Já imaginou uma pessoa de 20 anos agindo como uma criança de 5? Seria no minimo ridículo! Há uma grande diferença entre depender de Deus como nosso jardineiro no qual ele nos poda para crescermos e darmos mais frutos (João 15) e depender Dele apenas para coisas que lhe apraz. A fase de criança é, até um certo tempo, necessária para darmos os primeiros passos na fé. Mas ela não pode ser eternal. Não podemos depender de pessoas para passar a mão na cabeça quando erramos ou que orem por nós sempre que temos um problema. Não estou dizendo que você não deva pedir oração, mas que tenhamos um nível de maturidade no qual saibamos que nossas orações são ouvidas e têm poder para mover montanhas.
Ao não caminharmos rumo ao crescimento na fé, acabamos atrasando as bençãos de Deus nas nossas vidas. Deus tem bençãos guardadas para todos nós, mas infelizmente ele não as libera devido a maturidade de seus filhos. Imagina dar um Ferrari para uma criança, como seria? É a mesma coisa conosco e por amor ele não nos deixa desfrutar de coisas maravilhosas que Ele reservou pra nós. O problema não é estar na situação que você está agora, mas é que esta situação era pra você ter vivido tempos atrás e já era pra você estar em outro patamar. Veja o que o autor de Hebreus diz:

“Quanto a isso, temos muito que dizer, coisas difíceis de explicar, porque vocês se tornaram lentos para aprender.
De fato, embora a esta altura já devessem ser mestres, vocês precisam de alguém que lhes ensine novamente os princípios elementares da palavra de Deus. Estão precisando de leite, e não de alimento sólido!
Quem se alimenta de leite ainda é criança, e não tem experiência no ensino da justiça.
Mas o alimento sólido é para os adultos, os quais, pelo exercício constante, tornaram-se aptos para discernir tanto o bem quanto o mal.”
Hebreus 5:11-14

Deus deseja o nosso crescimento Nele para que possamos ter um relacionamento mais profundo e para que sejamos abençoados. Lembre-se: A criança não pode tocar na herança até que se torne adulta. Que conheçamos e prossigamos em conhecer mais a Cristo e nos tornemos estáveis na fé!

Deus abençoe!

Leandro Henrique

Blog

Você está disposto a mudar seu destino?

 

E aconteceu que, apertando-o a multidão, para ouvir a palavra de Deus, estava ele junto ao lago de Genesaré;
E viu estar dois barcos junto à praia do lago; e os pescadores, havendo descido deles, estavam lavando as redes.
E, entrando num dos barcos, que era o de Simão, pediu-lhe que o afastasse um pouco da terra; e, assentando-se, ensinava do barco a multidão.
E, quando acabou de falar, disse a Simão: Faze-te ao mar alto, e lançai as vossas redes para pescar.
E, respondendo Simão, disse-lhe: Mestre, havendo trabalhado toda a noite, nada apanhamos; mas, sobre a tua palavra, lançarei a rede.
E, fazendo assim, colheram uma grande quantidade de peixes, e rompia-se-lhes a rede.
E fizeram sinal aos companheiros que estavam no outro barco, para que os fossem ajudar. E foram, e encheram ambos os barcos, de maneira tal que quase iam a pique.
E vendo isto Simão Pedro, prostrou-se aos pés de Jesus, dizendo: Senhor, ausenta-te de mim, que sou um homem pecador.
Pois que o espanto se apoderara dele, e de todos os que com ele estavam, por causa da pesca de peixe que haviam feito.
E, de igual modo, também de Tiago e João, filhos de Zebedeu, que eram companheiros de Simão. E disse Jesus a Simão: Não temas; de agora em diante serás pescador de homens.
E, levando os barcos para terra, deixaram tudo, e o seguiram.

Lucas 5:1-11

Nesse mês de setembro estive em um projeto missionário em parceria com o MEAP (Missão Evangélica de Assistência aos Pescadores) no qual fizemos evangelismo com famílias de pescadores e trabalho com crianças e adolescentes. Enquanto estive no projeto, me lembrei dessa passagem na qual Jesus os convida para que o sigam. Mas por que Jesus os escolheu? Por que ele nos chama sabendo que nos sentimos incapacitados de realizar sua obra? O que Ele procura? O que fazer e o que acontece quando obedecemos? Separei alguns pontos que falaram comigo:

1. Jesus chama os que estão ocupados – Jesus sabia que o trabalho seria difícil e por isso precisava de pessoas empenhadas na missão. Enquanto os discípulos lavavam as redes, Jesus os avistou e entrou no barco.

2. Jesus te tira da zona de conforto – A partir do momento em que aceitamos participar do ide, seremos obrigados a sair da zona de conforto. Jesus ordena para tirarem o barco da margem e levarem para águas mais profundas. Por quê? Porque é onde havia mais peixes. Jesus quer te levar para lugares onde há grande quantidade de pessoas a serem pescadas.

3. Reconhecer Jesus – Note que a primeira palavra que Pedro diz a Jesus sem o conhecer é “Mestre”. Devemos estar cientes que Jesus é Mestre em nossas vidas e que tudo que fazemos é para honra e glória do seu nome.

4. Obediência gera resultados – Pedro tentou colocar um empecilho dizendo que já havia tentado, mas obedeceu. E qual foi o resultado? Redes fartas de peixes. A obediência gera frutos que jamais imaginaríamos colher.

5. Mudança de destino – Após tudo isso, Jesus deu um novo rumo à vida dos discípulos. Agora eles seriam pescadores de gente. A partir do momento em que Ele entra em nossas vidas, há uma mudança de destino.

A escolha de Jesus pelos 12 não foi em vão. Havia personalidades diferentes entre eles, mas o amor pela obra fez com que eles se unissem por um propósito: cumprir o ide. Por muitas vezes nos achamos incapazes de contribuir em algo para o reino de Deus na terra, mas tudo que Jesus precisa é de um coração disposto a servir. Você está disposto?

Fiquem na paz de Cristo!

Leandro Henrique